Marcos Antônio de Souza, profissional de Educação Física, servidor público e professor do Centro Universitário UNIFACVEST. É o nosso entrevistado desta semana na coluna Dois Dedos de Proza.

marcos 3

CA : Qual sua opinião sobre o esporte em Lages?

Marcos: O esporte em Lages está subdesenvolvido, apesar dos inúmeros projetos desenvolvidos em toda a cidade, que são realizados por excelentes profissionais que se dedicam para fazer acontecer o esporte de base e amador na cidade. Vejo que o esporte profissional deve ser gerido e administrado com todos os seus bônus e ônus pela iniciativa privada, já que é uma atividade de cunho profissional, que visa lucros como qualquer atividade empresarial. Já no esporte de base e amador há uma grande carência de investimentos no incentivo ao desenvolvimento tecnológico, esportivo, devido a falta de políticas públicas sérias voltadas ao desenvolvimento esportivo, para a formação de atletas amadores e profissionais. Vejo com muita preocupação este momento que estamos passando de crise ética, moral, política e financeira, que possa impactar negativamente na manutenção e mesmo na evolução de programas e projetos esportivos na cidade. Devemos estar vigilantes com o sistema, para que o bons exemplos de projetos que temos na cidade não sejam prejudicados por essa crise que estamos passando. Espero que consigamos sair desse momento ruim, e possamos fortalecer, inovando e buscando alternativas para que não só possamos manter o que já temos, mas que possamos ampliar o que ainda não temos.

marcos 2

CA:Quais foram suas contribuições para o esporte em Lages?

Marcos:  Fui atleta de Handebol e durante uns 10 anos representei nossa cidade em competições regionais, estaduais em jogos da Fesporte (JESC, OLESC, Joguinhos e JASC). Como profissional da Educação Física fui professor de Handebol e Futsal, e nos últimos anos procurei desenvolver projetos para a formação educativa, cidadã e de competição no esporte. Também desenvolvi projetos, juntamente com outros colegas de profissão, para captação de recursos para investimento em infraestrutura, como quadras de grama sintética, ginásios, organização de competições e compra de materiais esportivos. Desenvolvo trabalho voluntário na Associação de Handebol, Handlages, a mais de 8 anos, onde procuramos oferecer esporte gratuito e de qualidade a crianças e adolescentes nos bairros de Lages. Desenvolvi também eventos esportivos junto ao CONSEG setor 02 visando a prática esportiva e integrativa.

Como vê os cursos de Educação Física? Os cursos de Educação Física são bons, pois um dos fatores importante na formação acadêmica, é o curso apresentar um qualificado quadro de professores.  O que ainda precisa ser melhorado é a infraestrutura e o incentivo a prática do esporte universitário, assim como as parcerias com o Poder Público e a iniciativa privada.

CA: Qual sua proposta para o fortalecimento do esporte amador e de rendimento?

Marcos :É necessário colocar em prática e em funcionamento o Fundo Municipal de Esportes para que possamos captar recursos e apoiar nossos atletas em competições e treinamento. Também precisamos de uma Lei Municipal de Incentivo Fiscal, oportunizando ao empresariado local a participação nos projetos esportivos.

CA: Considerações finais aos nossos leitores:

Marcos :Apesar das dificuldades e obstáculos enfrentados, o que mais me chama a atenção é a falta de união entre os profissionais do esporte e da Educação Física. Precisamos superar as diferenças, respeitando um ao outro, e buscar a parceria em todas as modalidades que fazem um belo trabalho no esporte de base e amador. A união é importante para que as prioridades e demandas sejam atendidas sem privilégios e com critérios objetivos para o fortalecimento da área esportiva de base. O esporte é uma ferramenta de grande importância para o desenvolvimento humano.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here