jeam eJean Moser Correia, lageano e ciclista, um dos grandes nomes e baluarte ciclismo lageano nos anos 90 e 2000. Hoje radicado em  Camboriú, segue sua trajetória de amor ao esporte sobre duas roda.

É com ele nosso Dois Dedos de Prosa desta semana.

CA Esportes: Como foi teu inicio no ciclismo?

Jean: Por indicação médica em recuperação a uma doença chamada reumatismo no sangue na adolescência.  Junto ao tratamento por três meses com penicilina, pedalar foi minha terapia e melhora as dores que eu sentia.

CA Esportes: Desde que idade você está pedalando?

Jean: Tive minha primeira bicicleta do meu pai aos 4 anos de idade e sempre fui apaixonado por pedalar.  Mas em 1993 aos 13 anos que comecei a dar minhas primeiras pedaladas longas e logo competir em provas em minha cidade.

CA Esportes: Suas principais conquistas?

Jean: Venci várias provas em minha carreira dentre elas no catarinense, paranaense, gaúcho, participei de várias voltas e tours como o de SC, Volta do Paraná, Volta Litoral Gaúcho, campeonatos brasileiros, sul americanos. Quatro jogos Abertos de SP com medalhas em todas participações, mas  certamente nos JASC que foram mais saborosas tendo duas medalhas, 2003 Bronze prova de resistência e 2005 Bronze prova Quilômetro Contra Relógio ambas competindo pela prefeitura de Itajaí.

jean e kakaA Esportes: Você é natural de que cidade?

Jean: Sou natural da cidade de Lages Santa Catarina.

CA Esporte: Há quanto tempo está em Camboriú?

Jean: Moro atualmente em Camboriú, mas entre Balneário Camboriú e Passo Fundo – RS já estou a 15 anos fora de Lages.

CA Esportes: Quais as competições que tem participado ultimamente?

Jean: Precocemente em 2007 parei de competir, e em novembro de 2014 tive insistência de amigos para voltar a treinar e o amor pelo ciclismo me fez voltar, e aos poucos o gosto pelas competições me fizeram querer me dedicar novamente por esse esporte que me fez viver com tanta paixão. Gradativamente fui voltando e nesse período participei de Audax ainda com sobre peso fiz 300km em 11hrs sendo segundo a chegar, participei de outras provas do calendário estadual para estar ao lado do meu pupilo Eliel Faro Pereira 16 anos,  é como um filho e certamente é nova promessa no nosso país. Participei da grande Letape Brasil nas duas edições prova que imita uma etapa do Tour de France, em 2015 como atleta e 2016 como treinador. Mas em 2017 quero voltar com tudo, competir sempre foi minha vida amo isso.

CA Esportes: Você tem se dedicado ao orientar ciclistas. Fale um pouco desta função.

Jean: Tenho me dedicado a ensinar o ciclismo a alguns alunos em Camboriú e região, penso que vivi algo incrível, o esporte é algo majestoso, e traz para humanidade uma chance de ser mais humanos.  Com a parceria de Karina Rodrigues Pereira (pós-graduada em fisiologia do exercício) temos a Keep Bike. Tenho alunos jovens de todas as idades, adolescentes, pais e mães de família, nem todos querem competir, mas todos são vencedores todos os dias. Treinamos 6 dias por semana com 2 turmas em dias separados. De 60 a 120 km por dia e com resultados surpreendentes sempre com nossos atletas no pódio.  É magnífico você passar seu conhecimento adiante deixando assim seu legado.  E vendo que o adolescente está longe de drogas e será futuro pai de família, e teve como complemento de formação de caráter a disciplina e paixão do ciclismo para si. Ou o pai de família que agora pedala e experimenta o gosto pelo ciclismo sendo assim incentivador dos filhos.

jean 2

CA Esportes: Em um depoimento no facebook você falou que o ciclismo salvou sua vida. Como explica isso?

Jean: Sim.  Por que o ciclismo me mostrou o mundo mais do que meus olhos podiam ver, por que quando criança ainda tive fluência para coisas erradas mas minha atenção era chamada para bike, pedalar, e logo conheci os ciclistas da minha cidade Lages que eram dedicados e eu queria ser como eles.  Em 1999 eu queria abandonar a bicicleta por falta de apoio e minha mãe agora falecida não permitiu que eu desistisse, eu sempre fazia com gosto por mim e por ela.  Nunca experimentei drogas, nunca frequentei danceterias ,fui bom filho e um irmão exemplar as minhas duas irmãs, e parte graças ao ciclismo. Também pelo ciclismo conheci minha amada esposa Kaká que é ciclista também, ela me acompanha diariamente na minha vida nos incentivamos um ao outro sempre.

CA Esportes: E 2017 o que espera nesta modalidade?

Jean: Sinceramente vi um crescimento no esporte, o uso da bicicleta aumentou muito mesmo. Eu penso que o ciclismo Brasileiro tem muitas qualidades, tivemos Mauro Ribeiro, Luciano Paglarini, Márcio May agora recém aposentado e amigo Murilo Fischer que chegaram a níveis em suas carreiras incríveis e isso é ótimo, sei que mais e mais virão e darão orgulho. Para 2017 teremos muitas novidades no ciclismo desde equipamentos mais evoluídos a novos atletas que estão despontando no nosso país e alguns já se encaminhando para fora como Europa.

jean 1

CA Esportes: Agradecemos a atenção para com a nossa reportagem. Deixe sua mensagem final.

Jean: Podemos fazer a nossa parte para superar a falta de patrocínio, falta de apoio de algumas prefeituras e trazer mais jovens para praticar esportes.  Uma das últimas chances da humanidade depois de Deus é o esporte.  Esporte ajuda a família já tão desgastada pelo mundo, esporte ajuda um pai desviar o filho do traficante. Esporte tira o pai ou a mãe do alcoolismo. O esporte uni as pessoas pelo coração.

jean au

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here